Busca de Artigos:

O "vinho do diabo" e outras curiosidades sobre os espumantes

Publicado em: 19 Abril, 2013 por Winetag B.

Para alguns, o vinho espumante é símbolo de celebração, reservado para os momentos especiais e de alegria. Outros encontram nas borbulhas o frescor para dias quentes e o sabor único nas combinações com os melhores pratos. Independente de como você costuma degustá-lo, não há como negar que o espumante é especial no mundo do vinho, pois transcende até mesmo a barreira do preconceito e dos estereótipos, sendo apreciado por leigos e enófilos.

Pensando na popularidade do espumante, decidimos compartilhar algumas curiosidades e informações interessantes para quem quer conhecer mais sobre esta deliciosa e fascinante bebida.

Uva tinta também dá espumante!

 Vinho branco com uvas tintas? Acredite, isso existe. Muita gente não sabe, mas vários excelentes espumantes e vinhos brancos possuem uvas tintas em sua composição ou são até mesmo feitos 100% de tintas.


Isso é possível porque, na verdade, o que dá a tonalidade ao vinho tinto é a casca da uva e não o suco. Para produzir o vinho branco a partir dessas variedades a casca da uva é separada logo no início do processo, evitando o máximo possível de contato com o suco.

No caso dos Champagnes, quando são feitos totalmente a partir de uvas tintas, eles se chamam 'Blanc de Noirs'. Em contrapartida temos os 'Blanc de Blancs' para vinhos 100% de uvas brancas.

Um método único de produção

Já ouviu falar nos espumantes Champenoise? Este é o método clássico e original de produção do famoso Champagne, produzido exclusivamente na região francesa. Há muito tempo atrás, lá no século XVII, diz a lenda que o monge Don Perignón conseguiu controlar um fenômeno até então inédito: uma segunda fermentação do vinho, já dentro da garrafa. E foi assim que o Champagne surgiu.

No método Champenoise, a primeira fermentação é idêntica a dos outros vinhos, e dá origem ao vinho básico, que depois é engarrafado. Adiciona-se então açúcar e leveduras, e as garrafas são fechadas com tampas de metal. Daí começa a segunda fermentação que irá liberar o gás carbônico e dará vida às tão famosas borbulhas. Depois de muito cuidado e acompanhamento, o Champagne finalmente ganha sua tradicional rolha.

É um processo demorado, mais caro e bastante artesanal, mas que garante a qualidade e fama dos prestigiados Champagnes franceses.

A magia das borbulhas

 Você sabe o que é “perlage”? Quem não está tão familiarizado com vinho com certeza já ouviu essa expressão de alguém descrevendo o espumante, mas não soube exatamente do que estavam falando. Perlage nada mais é do que as borbulhas, a efervescência do espumante e também a sua alma, que mostra toda a vivacidade da bebida, proveniente do gás carbônico.

Durante o exame visual, as borbulhas obviamente são a parte mais importante, e são avaliadas em três categorias: tamanho, quantidade e persistência. Quanto mais compactas, numerosas e duradouras, melhor, e espumantes da uva Chardonnay geralmente se destacam.

Desvendando o açúcar

Brut, Extra Brut, Sec, Demi-Sec...estas são categorias típicas de espumantes e ficam estampadas no rótulo. A classificação se refere à quantidade de açúcar inserido no vinho durante a sua produção.

Os espumantes, ao contrário dos outros tipos de vinho, passam por uma segunda fermentação, e é durante esse processo que açúcar é adicionado manualmente em forma do chamado “licor de expedição”. Até porque, após a primeira fermentação, o açúcar original já foi consumido e transformado em álcool, originando um vinho totalmente seco. A quantidade de açúcar adicionado vai determinar a sua classificação, sendo o Brut e Demi-Sec os mais comuns.

A escala oficial, do mais seco para o mais doce é a seguinte (gramas por litro):

Brut Nature: Nenhuma adição de açúcar
Extra Brut: 0-6g/L
Brut: 6-15g/L
Séc/Seco/Dry: 15-20g/L 
Demi Sec/Meio Seco: 20-50g/L
Dulce/Doce: +50g/L

A técnica da Sabragem

 Já tentou abrir seu espumante com uma espada? Provavelmente não (e nem recomendamos), mas com certeza já viu em algum filme ou série de TV as pessoas comemorando e usando um sabre para abrir as garrafas de champagne, não é? Essa técnica se chama 'Sabragem'.

A tradição não fica restrita à ficção. Tem origem na França, quando Napoleão estava no auge de sua carreira militar. Suas vitórias inspiravam comemorações por todo o exército, e champagne era uma paixão do famoso General. Como tipo de espada tradicional do exército de Napoleão, o sabre virou a principal ferramenta para abrir as garrafas.

A técnica envolve segurar com uma mão a garrafa levemente inclinada para cima. Com a outra, deslizar com um golpe forte e rápido a lâmina próxima ao início do gargalo em direção à rolha. Se tudo der certo e a garrafa não explodir acidentalmente, a ponta do gargalo irá se quebrar e levará a rolha junto.

Bem legal, né? Mas atenção! A sabragem é uma técnica perigosa e só deve ser usada por profissionais extremamente qualificados.

Cuidado com o vinho do Diabo

Esse nome macabro não é uma marca ou linha de qualquer vinícola existente, mas é como o champagne era chamado na época do seu descobrimento, no século XVI.

O famoso espumante recebeu esse nome devido a dificuldade que os criadores tinham de conseguir 'domá-lo'. A alta pressão interna durante a segunda fermentação da bebida resultava em garrafas explodindo ou rolhas sendo atiradas para fora, pois naquela época a França ainda não possuía garrafas de vidro resistentes o suficiente para conter o vinho.

Na tentativa de recriar a bebida, chegava-se a perder até 90% das garrafas e muitos trabalhadores se feriam gravemente por causa das explosões, que aconteciam em cadeia. Por isso, acabou ganhando o apelido condizente com o estrago que poderia causar.

Sobre o Autor

Comentários na WineTag

1

Alvaro Cezar G. disse há 2582 dias às 12:18h:

Há controvérsias sobre o primeiro espumante se o Champagne ou o Limoux- Também existem espumantes tintos e sobre o Champagne, para se ter o rosé faz-se assemblage de vinhos base branco e tinto, coisa que muitos não sabem. Muito bom, continuem assim-Álvaro Cézar Galvão "O Engenheiro que Virou Vinho" www.divinoguia.com.br- Abraços de luz

Reportar Abuso

494

João P. disse há 2581 dias às 09:35h:

Legal Alvaro! Não sabia que havia esta "concorrência" entre Limoux e Champagne... Abs

Reportar Abuso

  1. Adicionar Comentário:

    Você precisa estar logado na WineTag para deixar um comentário.

Baixe o App da WineTag

É grátis! Acesse todo o conteúdo da WineTag em seu celular.

...saiba mais»

Browse around this site: click to continue where to buy accutane in usa additional reading.