Busca de Artigos:

10 dicas de etiqueta com o vinho: saiba se comportar com a bebida à mesa

Publicado em: 18 Julho, 2013 por Fernanda B.

Apesar de popular em diversos países, o vinho não é uma bebida que pode ser tomada sem qualquer tipo de requinte. Imaginamos tranquilamente alguém esparramado no sofá, abrindo uma lata de cerveja e tomando sem qualquer cerimônia. Mas, qual é a cena que nos vem à cabeça quando pensamos em alguém tomando vinho?

A imagem já vem floreada com um jantar de clima romântico ou pomposo. Um encontro, uma reunião de negócios, um jantar entre amigos que queiram curtir um restaurante mais chique. Ou mesmo um jantar na sua própria casa, com uma comida mais elaborada e um vinho especial. Não adianta fugir: o vinho está intimamente ligado com a elegância. Então, é preciso saber as regras de etiqueta que circulam por esse mundo, para ficar  seguro na próxima oportunidade.

Nada é à toa
Muita gente acha que as regras de etiqueta são um monte de frescuras inúteis, feitas apenas para enobrecer os que sabem segui-las ou descaracterizar os que não as seguem. Pelo menos as etiquetas que se referem aos vinhos, não são assim. Cada regra tem o seu porquê. O objetivo delas é fazer com que a pessoa aprecie o máximo possível o seu vinho, sem atrapalhar sua temperatura, seu sabor e seu ar elegante. Mesmo as regras que parecem ser apenas morais (como a ordem de servir a bebida entre as pessoas) possuem um significado interessante, que tem a ver com a cultura dessa bebida milenar.

Fique, agora, com as dicas da nossa Sommelière Principal Jô Barros, que ensina como devemos nos comportar ao tomar um bom vinho.

1- Segurando a garrafa
Na hora de trazer a garrafa e servir, como segurá-la? Não segure pelo gargalo, pois o vinho pode escorregar, e o único que vai bebê-lo é o chão. As chances de escorregar são maiores no caso de vinhos que possuem cápsulas, pois elas se mexem e podem sair. Você pode acabar com uma cápsula vazia na mão, e com um jantar regado a água e refrigerante. Nem pensar! Por isso, segure a garrafa sem medo, pelo meio, envolvendo-a com toda a mão, sem esconder o rótulo.

Algumas pessoas podem pensar: “Mas, desse jeito, não vou esquentar o vinho?”. O vidro da garrafa é grosso, então não se preocupe em mudar a temperatura do vinho com sua mão. Algumas pessoas podem ter a habilidade de segurar a garrafa pela parte de baixo, mas não aconselhamos isso aos marinheiros de primeira viagem. O mais seguro é pegar pelo meio e garantir a estabilidade.

2- Deixe o buraco em paz
Aquela concavidade no fundo das garrafas de vinho não foi feita para enfiar o dedo. Algumas pessoas acham que o furo serve para apoiar o dedo enquanto se segura ou serve a garrafa. Errado! O único intuito daquele buraco é armazenar várias garrafas de um jeito mais organizado, com cada gargalo apoiado na concavidade da próxima garrafa, fazendo todas se encaixarem. Logo, se for servir o vinho, não use o furo para segurar. É perigoso, pois pode fazer você perder o controle da garrafa.

3- Primeiro, as damas
Vinhos são tomados por cavalheiros. Logo, o respeito às mulheres é importante. Quem serve o vinho deve mostrá-lo ao anfitrião (a pessoa que pediu o vinho, no caso de estarem num restaurante) e depois servi-lo, respeitando a ordem de idade (primeiro as mulheres mais velhas, depois as mais jovens).

Depois disso, os homens são servidos, respeitando a mesma regra de idade. O último a ser servido será o anfitrião. Importante: se a anfitriã for uma mulher, ela também será a última a ser servida. Isso porque a pessoa que pediu o vinho está oferecendo a bebida a todos os seus amigos e convidados, para depois se servir, mostrando educação e respeito pelos presentes.

Se o jantar for na sua casa, o dono da casa é quem serve (ficando por último, mesmo se o vinho foi levado por algum convidado).

4 - Nada de boca na boca. Pelo menos na hora de servir o vinho.
Encostar a boca da garrafa na boca da taça, no momento de servir a bebida, é errado.

Apesar de parecer mais seguro, para não derramar vinho, o contato pode quebrar a taça e causar um desastre maior (ainda mais se a taça for de cristal fino). A dica é aproximar, sem encostar.

Para taças de boca pequena, aproxime a garrafa o máximo que puder. Já para taças de boca larga, pode despejar com uma distancia maior.

5 - Cuidado com a gota
Não adianta! Ao servir o vinho, sempre terá aquela gotinha que vai escorrer pela garrafa e acabar sujando o rótulo, a mesa ou o descanso de copo. Para evitar essa cena, há duas saídas. A primeira é ter um pano de serviço na outra mão, na hora que você for colocar o vinho nas taças. Toda vez que acabar de passar vinho da garrafa para a taça, passe o pano do gargalo até a boca, para que a gotinha enxerida seja capturada imediatamente. Se não quiser usar o pano, a outra dica é a famosa “viradinha”: depois de servir, ainda com a boca da garrafa perto da boca da taça, dê uma giradinha na garrafa, evitando que a gota se forme.

6 - Despeje a quantidade certa
Para você que serve o vinho, não existe isso de perguntar “tá bom?' e 'quer mais?” para a pessoa que você serve. (Não é muito elegante!) Pior ainda é servir o vinho para alguém que te estendeu a taça e encher até a pessoa bater a boca da taça na garrafa, mostrando que não quer mais.

A quantidade de vinho é predeterminada: em média, três dedos de vinho. É pouco, sim, e não passa do meio da taça. Por quê? Para os tintos, os brancos e os rosés, o motivo é deixar espaço para a pessoa aerar o vinho (dar aquelas giradinhas na taça para oxigenar, fazendo os aromas se desprenderem). Não dá para fazer isso com a taça cheia.

Já para os espumantes (que não devem ser aerados), a pouca quantidade serve para o vinho não esquentar no copo, pois espumantes devem ser tomados em temperaturas mais baixas (a garrafa permanece na mesa dentro de um balde com gelo e água, e a taça tem vinho suficiente para a pessoa beber antes de esquentar, podendo pegar mais vinho geladinho a hora que quiser).

7 - Receba bem o vinho
E quando você for ser servido por alguém? Qual é o segredo?

Não levante a taça para receber o vinho! Deixe sua taça na mesa, do lado direito do seu prato (onde a taça já deveria estar). A pessoa que serve irá até seu lado direito e despejará o vinho, e só depois você pegará a taça. Isso é mais elegante, mostra menos ansiedade e evita uma situação imprevisível (como você subir a taça demais e bater na boca da garrafa, ou quem serve achar que você não vai subir mais e descer a garrafa enquanto você sobe, ou coisa do gênero). 

Importante: essa regra de servir do lado direito e de não levantar a taça só é válida se não for causar nenhum tumulto. Se a mesa for grande e não for possível o garçom ou o anfitrião chegar facilmente até você, ou se seu lado direito estiver bloqueado, a regra de etiqueta é ser educado e estender sua taça até a pessoa que irá te servir. Nesse caso, estenda e deixe a taça firme, para quem serve escolher a distância que usará para despejar o vinho. Assim, as chances dos inconvenientes citados acontecerem são bem menores.

8 - Segure do jeito certo
Diferentemente da garrafa, a taça tem um vidro (ou cristal) muito fino. Se você segurar a taça com a mão inteira, no bojo, como quem segura um copo de leite, irá esquentar o vinho. Muitos vinhos perdem qualidade quando não são tomados na temperatura certa, por isso, esquentar o vinho é bem ruim. Para evitar isso, segure a taça pela haste. Além de não esquentar a bebida, fica mais elegante.

9 - Tomando um arzinho
Já falamos sobre a giradinha na taça, que serve para oxigenar o vinho e liberar seus aromas. Quais vinhos devem receber a giradinha? O mais simples é saber qual não deve receber: os espumantes. Girar um espumante faz perder parte do gás, que é uma das principais características da bebida. Aliás, nem dá pra fazer a giradinha direito, na taça de espumante (comprida e fina).

Para os outros vinhos, após serem servidos, gire a taça, sem tirar sua base da mesa, fazendo o vinho rodar lá dentro. Depois disso, sinta o aroma e tome goles pequenos.

10 – Troca, troca!
Se for trocar o vinho ou beber outro, você troca a taça ou bebe na mesma?

O ideal é sempre trocar a taça quando for trocar o vinho, principalmente se for trocar o tipo de vinho (beber um branco após beber um tinto). Mesmo porque, cada vinho pede um tipo diferente de formato de taça (veja nossa matéria aqui sobre a taça ideal para cada vinho).

Se, por algum motivo, você não puder trocar de taça, vinhe a peça. Isso significa colocar um pouco de água na taça, “lavar”, e jogar a água fora, antes de receber outro vinho naquela taça.

É isso aí! Agora, faça bonito no próximo jantar, e seja um ícone da etiqueta e do refinamento.

 

Texto originalmente publicado em www.sonoma.com.br

 

 

Sobre o Autor

Comentários na WineTag

4

Fernando C. disse há 2503 dias às 14:30h:

Fernanda, o seu texto é orientador para os desavisados no mundo do vinho, mas ele mostra uma falta ao mundo da cerveja. A cerveja, igual ao mundo do vinho, tem uma vasta variedade de estilos e tipos que exigem suas regras de conduta, copos específicos e até mesmo modos de 'etiqueta'. Se conhecermos esta similaridade além da fermentação poderá dizer que "Agora, faça bonito no próximo jantar, e seja um ícone da etiqueta e do refinamento."

Reportar Abuso

0

francine c. disse há 2501 dias às 11:38h:

Otimo texto! Adorei as dicas vou usar com certeza!!!

Reportar Abuso

0

Fernanda B. disse há 2499 dias às 12:57h:

Bom dia, Fernando! Muito obrigada pelo comentário. De maneira alguma quis dizer que uma cerveja de qualidade não precisa de refinamento ou um preparo para ser apreciada. Estava apenas brincando com os estereótipos que vem à cabeça do leitor quando pensa nas duas bebidas. No Brasil (felizmente ou infelizmente), a cerveja é uma bebida mais popular e que não é necessariamente associada à jantares chiques, e sim a encontros despretensiosos com amigos. Eu, particularmente, acho isso uma vantagem. Um grande abraço e espero tê-lo como leitor nos próximos textos!

Reportar Abuso

15

Wanderley C. disse há 2491 dias às 13:55h:

Ótimas dicas, mostram que muitas regras de etiqueta se aproveitam do velho bom senso. Só acho o glamour do ato de beber vinho um tanto exagerado. Podemos beber vinho sozinhos (ou com um bom livro) na privacidade do lar assim como a maioria das pessoas toma uma cervejinha. Já nos eventos sociais o vinho tem o poder de harmonizar não só com os alimentos, mas com a companhia das pessoas, e só esse ritual já faz do vinho um companheiro adorável. []s

Reportar Abuso

0

fernanda d. disse há 2460 dias às 02:51h:

muito bom

Reportar Abuso

  1. Adicionar Comentário:

    Você precisa estar logado na WineTag para deixar um comentário.

Baixe o App da WineTag

É grátis! Acesse todo o conteúdo da WineTag em seu celular.

...saiba mais»

More information: this site best place to buy accutane usa use this link.